segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Uma beleza de comentário

Em 16 de setembro (há quase um mês), escrevi um post com o título: "Lei 12.292/10 - Você sabe para quem andou dando dinheiro ultimamente?" no qual exponho que o Congresso Nacional aprovou lei autorizando o Poder Executivo a doar R$ 25.000.000 à Autoridade Palestina "para a reconstrução de Gaza". Creio ter demonstrado, com base no art. 4º, inc. VIII da Constituição que essa lei é inconstitucional.

Mais que isso, como cidadão que paga (muitos) impostos, desagradou-me ver meu dinheiro doado à Autoridade Palestina que, eventualmente, alimentará não o povo palestino, mas os ideais terroristas do Hamas.

Vejam a pérola de comentário - anônimo, obviamente - feito hoje a esse post:

"Você deve ser nais um daqueles que estão desperados,porque sabem que vao perder e nao se comformam em ver na presidencia um operario que transformou esse pais.Parem de propagar mentiras; isso sim é terrorismo".

Eu adoro petistas! Além de vários deles não saberem escrever (o nais pode ter sido erro de digitação; mas comformam!?), suas críticas sempre revelam seu verdadeiro caráter autoritário e mentiroso.

O que está no post não é mentira. A lei foi publicada no diário oficial e está disponível no site www.presidencia.gov.br/legislacao. No mesmo site pode ser consultada a Constituição, e o art. 4º, inc. VIII tá lá. A relação que estabeleci entre essa lei e o dispositivo constitucional e a conclusão que alcancei não são propriamente um fato (ou seja, não é mentira nem verdade); é apenas a minha opinião. Opiniões - exceto para os fanáticos - não são verdades ou mentiras; são certas ou erradas. Eu acho que minha opinião a respeito do assunto que abordei no post está certa. E estou absolutamente disposto a ouvir ou ler argumentos jurídicos ou políticos contrários.

Agora, o melhor foi o final: isso sim é terrorismo. Deve ser mesmo. Um sistema em que as pessoas são livres para articular fatos, emitir opiniões e torná-las públicas realmente aterroriza qualquer petista!

Convido o gentil comentarista a identificar-se e argumentar juridica ou politicamente, demonstrando com um raciocínio lógico porque minha opinião está errada. Duas condições: português correto e sem ofensas pessoais. Combinado?

Nenhum comentário:

Postar um comentário