segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Os imigrantes e o avanço da extrema direita na Europa

No último fim de semana houve eleições parlamentares na Suécia. A grande notícia a respeito é o fato de o partido Democratas Suecos - considerado de extrema direta e contra imigrantes - ter, pela primeira vez na história, conseguido votos suficientes para ocupar cadeiras no parlamento.

Mais uma vez, verifica-se na Europa o quanto o assunto "imigrantes" - particularmente muçulmanos - vem sendo cada vez mais central nas eleições. Os partidos que sustentam uma posição contra a imigração, ou que defendem políticas restritivas quanto a esse tema vêm obtendo grande votação e, sempre que as urnas confirmam o crescimento desses partidos, há um grande "susto".

Com relação à Suécia, não foi diferente. A votação recorde queo partido Democratas Suecos recebeu repercutiu mundo afora. Vê-se com sobressalto esse crescimento da extrema direita européia.

O site da BBC publicou uma matéria interessante, com textos de quatro cidadãos suecos falando a respeito das eleições. Desses, três manifestam contrariedade à votação recebida pelos democratas e um manifesta-se favoravelmente.

A fala desse cidadão expõe porque esse assunto é tão espinhoso na Europa e porque só a extrema direita acaba falando a respeito:

"I voted for Sweden Democrats and I am not surprised they won. Other parties have utterly failed to bring up the question of integration of immigrants into Swedish society. The Sweden Democrats is the only party that has addressed the issue.

None of our previous governments has been able to deal with the problems of immigration in an acceptable way. It's not just about the numbers of immigrants we welcome, it's about what we do to integrate them. Many of them don't speak the language and live in a segregated way. Many of them don't speak the language and live in a segregated way".


E por que apenas a extrema direita verdadeiramente aborda esse assunto? Acho bastante elucidativo o que diz esse eleitor:

"When you express your views you are called a Nazi, a racist, you are not politically correct, you are seen as a bad human being".

Quando esse tipo de assunto vira tabu, apenas quem não tem pudor de ser chamado de nazista o aborda. E acaba granjeando o apoio dos eleitores que querem debater a questão, já que nenhum dos moderados tem coragem de efetivamente enfrentar o problema.

É verdade que boa parte dos argumentos contrários aos imigrantes têm, sim, caráter racista. Mas, se o assunto não for encarado seriamente por todos os envolvidos, a posição radical é a que prevalecerá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário