quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Mais do mesmo

Nos comentários do post anterior, o Salo mandou o seguinte link, de notícia que eu vi ontem: http://www.haaretz.com/print-edition/news/4-israelis-killed-in-shooting-attack-shattering-years-of-relative-west-bank-calm-1.311351 

Quatro isralenses foram mortos por um atirador palestino na Cisjordânia. Na reportagem, eis o que mais interessa e o que, naturalmente, é que menos surpreende:

"A spokesman for Hamas' military wing, the Iz al-Din al-Qassam Brigades, announced Tuesday that members of the organization carried out the shootings. A Hamas spokesman in Gaza, Sami Abu Zuhri, said the Islamist group praises the attack and considers it a natural response to "the crimes of occupation."

Another Hamas spokesman, Fawzi Barhoum, said the attack was meant to highlight the failure of the security cooperation between the Palestinian Authority and Israel".

Como todos sabem, Netanhyahu e Abbas estão em Washington para darem inícios a negociações diretas sobre a paz na região. Desde a década de 90, sempre que isralenses e palestinos tentam começar a negociar acerca do processo de paz, há sabotagem. O rabino do Shas sobre o qual falei no post anterior deu aquelas declarações desastrosas. O Hamas deu um jeito de matar quatro israelenses na Cisjordânia, já que penetrar em território israelense propriamente dito para executar atentados de maiores proporções está bem difícil atualmente, em virtude da cerca de separação e do bloqueio a Gaza.

Nas negociações, certamente uma das primeiras demandas do governo israelense será um compromisso sério da autoridade palestina de que vai conseguir controlar o Hamas. Além disso, o fato de o alvo desse atentado ter sido moradores de assentamentos judaicos nos territórios ocupados, deixa a Autoridade Palestina em situação desconfortável para condenar o ataque, já que, caso isso ocorra, para o público palestino em geral, a imagem será a de que a AP não se opõe à ocupação isralense da Cisjordânia.

Era óbvio que o Hamas tentaria dar mais uma demonstração de que são incontroláveis e que matar israelenses sempre será seu objetivo número um. A paz não interessa a eles. E como não interessa a boa parte dos moradores dos assentamentos da Cisjordânia, a possibilidade de algum sucesso nessas negociações, que já era pequena, diminui ainda mais.

Ao André Rozembaum, peço desculpas. Eu sei que você já leu esta análise 5000 vezes. Mas o que eu posso fazer se israelenses e palestinos não evoluem seus dicursos e suas práticas??? Como eu vou falar algo novo, se nada de novo acontece???

Nenhum comentário:

Postar um comentário