sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Enfim nos livramos

Para variar, um pouco de futebol.

Pela primeira vez na vida fiquei feliz de ver o Galo perder de goleada. Significaria - como felizmente significou - a queda de Luxemburgo. É algo que foge ao meu entendimento como Luxemburgo (que há sete anos não consegue nada que valha) mantém esse prestígio todo, mantem-se no cargo por tanto tempo. Considerando a campanha do Galo no campeonato, fosse qualquer outro técnico, teria se segurado, no máximo, até o fim do primeiro turno.

Luxemburgo, ao contrário, segurou-se até o time estar com um pé e meio na segunda divisão e até sofrer a humilhação que sofreu ontem.

Bom, já vai tarde. Espero que o próximo técnico (seja quem for) consiga injetar algum ânimo no time, consiga organizar minimamente a defesa e tentar uma reação que salve o Galo da segundona.

Na verdade, a situação em que o Galo se encontra hoje é nada mais do que aquilo que se costuma chamar tragédia anunciada. Para encerrar, segue texto de Juca Kfouri que ele publicou em 8 de dezembro e republicou hoje em seu blog.

"Alexandre Kalil conseguiu o que queria: contratou Vanderlei Luxemburgo.
Por dois anos.
Tempo mais que suficiente para se arrepender.
O mundo do futebol tem coisas inexplicáveis.
A experiência de uns não serve para outros.
Todos têm que sentir na carne.
O Galo sentirá, como o Santos, o Palmeiras.
E não por falta de aviso.
Espera-se, ao menos, que o Galo não esteja gastando mais do que pode, como Kalil garantiu que não faria".

Pois é. Ocorreu tudo o que Juca previu, exceto a última linha. O Galo gastou muito mais do que podia... Será que agora a diretoria aprendeu a lição?

Nenhum comentário:

Postar um comentário