segunda-feira, 12 de julho de 2010

Quem os terroristas islâmicos explodiram dessa vez?

Ontem ocorreram dois atentados terroristas simultâneos em Uganda. As bombas explodiram em um restaurante e um campo de rugbi, onde várias pessoas reunidas assistiam a final da Copa. Ao todo, mais de 70 pessoas morreram, segundo o New York Times.

A autoria do atentado foi assumida pelo grupo terrorista islâmico Shabab, da Somália, que busca derrubar o governo daquele país para que o mundo possa ser brindado com mais uma ditadura islâmica radical (e consolidar, definitivamente, o título da Somália como país mais fracassado do mundo - ver post http://sedertempodaumaolhada.blogspot.com/2010/06/o-indice-dos-estados-fracassados.html ).

Os atentados na Uganda ocorreram porque esse é um dos países africanos que mais contribuiram com tropas para a força enviada à Somália pela União Africana na tentativa de barrar os terroristas do Shabab.

Nenhum país está a salvo do terrorismo islâmico. Se os terroristas o consideram inimigo, seja por enviar tropas para combater contra eles, seja por ter publicado no jornal uma charge consderada ultrajante ao islamismo, alguém pode explodir do seu lado. Esteja você em Nova York, Londres, Madrid, Tel Aviv ou Kampala. Qualquer lider de qualquer país, qualquer organismo, qualquer pessoa - inclusive muçulmanos que não abracem o terrorismo - que relativizem o mal que esses selvagens fazem é co-responsável por não conseguirmos nos livrar deles. Quando o terrorismo islâmico ataca, não são só os judeus e norte-americanos que morrem. Isso já ficou absolutamente provado diversas vezes. Ontem não foi diferente. Falta o resto do mundo - principalmente os que não gostam desses e daqueles - se dar conta disso.

Apenas para registro, nesses atentados morreram, além - é óbivo - de ugandenses, cidadãos dos Estados Unidos, Índia, Irlanda, Etiópia, Eritréia e Congo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário