sexta-feira, 18 de junho de 2010

Sobre a Europa e os Muçulmanos

Ontem eu mencionei a grande votação que Geert Wilders e seu Partido da Liberdade receberam nas recentes eleições parlamentares realizadas na Holanda. A Holanda é historicamente identificada como um dos países mais liberais da Europa. E, por isso, tanta gente se surpreendeu com o expressivo apoio que a política anti-islâmica defendida por Wilders recebeu.

Hoje vejo no Times que uma das cidades consideradas mais liberais da Europa - Barcelona - está proibindo o uso de burka (vestimenta que cobre o corpo inteiro, inclusive os olhos, apenas com uma telinha para a usuária poder ver) e do niqab (cobre tudo, menos os olhos) em prédios públicos. Vou apresentar algumas das reações dos muçulmanos que foram entrevistados pela reportagem do Times.

“We will just have to keep our women at home and they will not be allowed out. That’s what this ban will do. It won’t help them,” said Mohammed Tetuan, 26, a taxi driver from Morocco. ('Então nós vamos ter que manter nossas mulheres em casa, elas não serão autorizadas a sair. É isso que essa proibição vai causar. Não vai ajudá-las').

Desconheço o código penal espanhol. No brasileiro, que conheço, manter uma pessoa em casa, proibindo-a de sair contra a sua vontade chama-se cárcere privado. Suponho que, na Espanha, haja crime semelhante previsto. Imaginem a confusão que haveria se um muçulmano fosse preso por manter a mulher em cárcere privado!

Mais uma declaração.

"Fariza Habib, 32, a British-born Muslim from Rochdale who now resides in the city, said: 'This is supposed to be a liberal country where you are free to wear anything you want, but they are forcing women to take off the burka and niqab'." (Fariza Habib, 32, uma muçulmana nascida em Rochdale, Inglaterra, que atualmente reside em Barcelona, disse: 'Supostamente, este é um país liberal, no qual você é livre para vestir o que quiser, mas eles estão forçando as mulheres a não usarem a burka e o niqab).

Que graça! Duas perguntas para a senhora Bib Esfiha: 1. No país de origem de seus pais, uma mulher poderia usar calça jeans, sair à rua e sobreviver? 2. Se eu quiser entrar em um prédio público, ou mesmo em um banco, usando um pano que cubra meu rosto, vão deixar? Espero que não. A liberdade religiosa que os muçulmanos cobram na Europa não existe em seus países de origem. E a liberdade religiosa é decorrência direta do princípio da igualdade. Eles torcem as coisas: querem que sua liberdade religiosa se sobreponha à igualdade. O que vale para todos não vale para eles. Se valer, dizem-se discriminados.

Em suma. Eles mamam na democracia e na liberdade para manterem a dominação e falta de liberdade sobre as mulheres.

Juntando tudo isso - que está acontecendo em maior ou menor escala em vários países da Europa - o resultado das eleições da Holanda é tão surpreendente assim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário